Seminários

Compartilhe:

SEMINÁRIO MENOR SÃO MAXIMILIANO MARIA KOLBE

 

Para entender um seminário: 

O seminário faz parte da formação do vocacionado: é a escola do Evangelho. Tem como modelo ideal a própria convivência de Jesus com o grupo dos apóstolos e discípulos. No seminário, os seminaristas realizam uma experiência de vida e intimidade com Deus, com os outros e consigo, de modo a se prepararem para a linda e grande missão sacerdotal. Esta preparação se dá num longo período, de nove a dez anos, através do estudo, da oração, do acompanhamento espiritual e psicológico, do trabalho na casa, do estágio pastoral, dos momentos de lazer, da convivência em comunidade. Tudo faz parte da formação, e neste período existem as etapas da formação.

Etapas de um seminário

Seminário Menor: voltado para a formação inicial dos jovens que ainda não concluíram o Ensino Médio. Geralmente, o seminarista mora no seminário e estuda numa escola externa. Os estudos ainda estão voltados para as disciplinas escolares. É também o momento oportuno do jovem fazer a experiência de viver longe da família, numa vida comunitária mais fechada.

Propedêutico: voltado à preparação humana, cristã e espiritual. Geralmente, o jovem já possui uma certa maturidade e procura aperfeiçoar suas aptidões. Nessa etapa, busca aprofundar mais a vida orante, tem uma formação de introdução à liturgia, ao breviário, à vida dos santos, à história da igreja diocesana, ao carisma de padre diocesano, dentre outras, e também é feita uma preparação para o vestibular.
Filosofia: período do discipulado, onde o seminarista se volta sobre o campo do saber, por meio da mais profunda compreensão e interpretação de sua liberdade na relação com o mundo e com Deus.
Teologia: etapa na qual o seminarista deve se configurar a Cristo Bom Pastor, pobre, casto e obediente, com maior maturidade vocacional, humana, espiritual e intelectual.

Breve histórico do nosso Seminário

O Seminário Menor de Guajará-Mirim foi fundado no dia 6 de agosto de 1982, no endereço Av. Presidente Dutra, 571, no antigo Mosteiro Nossa Senhora do Seringueiro, e tinha como nome Seminário Menor Nossa Senhora da Graças. Contudo, em 1991, nesse endereço começou funcionar também o Seminário Maior Nossa Senhora do Seringueiro. Sendo assim, surgiu a necessidade de ter um local somente para o Seminário Menor. Em 1993, o Seminário Menor Nossa Senhora das Graças foi transferido para o endereço Av. Porto Carreiro, 755, e a inauguração de sua capela ocorreu no dia 9 de fevereiro de 1993, sendo, posteriormente, dedicada a São Maximiliano Maria
Kolbe, sendo este mesmo o nome atual do seminário. Com o fechamento do Seminário Maior Nossa Senhora do Seringueiro, as formações filosófica e teológica dos nossos seminaristas aconteceram durante muitos anos no estado do Paraná e, desde 2008, passaram a ser em Porto Velho, no Seminário Maior Interdiocesano São João XXIII

Seminaristas 2020 e suas devidas etapas

O nosso Seminário Menor São Maximiliano Maria Kolbe, neste momento, está funcionando como seminário Propedêutico e nesta etapa encontra-se apenas o seminarista Thiago Forte de Oliveira, da paróquia Nossa Senhora de Fátima, do distrito de Nova Dimensão, do município de Nova Mamoré. Cursando filosofia, 1° ano: Robson Matos da Silva, de São Francisco do Guaporé; e no 3° ano, Junior Henrique, de Corumbiara. Cursando teologia, 1° ano: Enivaldo de Oliveira Fracasso, de Corumbiara e Gustavo Orlandin, de Colorado do Oeste; 4° ano: Claudinei de Lira, de Cerejeiras e Adriano da Silva, de Seringueiras. Temos ainda Josiel Santos da Cunha, de Colorado do Oeste, no aguardo das ordenações.
Ao todo, são oito seminaristas que precisam de muito apoio e orações para percorrer a caminhada com discernimento, tranquilidade, responsabilidade e fé. Jesus convida: “Segui-me e eu farei de vós pescadores de homens” (Mt 4,19). A vocação é de iniciativa divina “Chamou os que ele quis” (Mc 3,13-19). Jovem, venha percorrer este caminho conosco! Jesus lhe chama todos os dias:
“Vem e segue-me!”.

 

Endereço: 

  • Av: Porto Carreiro;
  • N° 755;
  • São José;
  • Cep: 76.850-000;
  • Fone: (69) 98498-0973;
  • E mail: [email protected].

 

 

Pe. Osmar Manoel Ferreira
Reitor do Seminário Menor S. Maximiliano Maria Kolbe.

 

Seminário Maior São João XXIII

Alguns relatos das atividades dos seminaristas maiores no Seminário Maior São João XXIII

II Encontro dos seminaristas maiores do regional noroeste

O Seminário Maior São João XXIII, participou entre os dias 12 e 14, em Cruzeiro do Sul (AC) do II Encontro dos Seminaristas Maiores da Regional Noroeste, promovido pela OSIB/NO, com o tema ‘MISSÃO NA AMAZÔNIA’. Foram no total 43 seminaristas, dos municípios de Lábrea, Guajará-Mirim, Humaitá, Porto Velho, Rio Branco e Cruzeiro do Sul.

Afirmo que: “A importância de nos reunirmos é de conhecermos a realidade onde vamos atuar em nossa vida sacerdotal, por isso viemos com muita alegria e empolgação para esta missão. Para nós foi uma experiência valiosa, que nos ajuda como seminaristas, como futuros presbíteros, e sobretudo como pessoa”.

            O encontro foi um momento de partilha e expectativas dos futuros sacerdotes que irão atuar nas diferentes realidades da Amazônia. “Cada diocese tem a sua característica, e cada característica dessa compõe a nossa regional. Que este encontro nos ajude a ver as características próprias da Amazônia, e que possamos levar Cristo adiante nesta região”. Ressalta dom Flávio Giovenale, bispo da Diocese de Cruzeiro do Sul.

Projeto é tempo de amar e servir

Com o surgimento da pandemia do novo coronavírus, a Arquidiocese de Porto Velho, em parceria com a Cáritas arquidiocesana, iniciou o atendimento a pessoas que estão em situação de rua na cidade de Porto Velho. O projeto É tempo de Amar e Servir mantem suas atividades durante todos os dias da semana na Paróquia Sagrada Família, na região central da cidade. Lá, são atendidas aproximadamente 170 pessoas que recebem alimentação, banho, espaço para lavagem de roupa. As marmitas são disponibilizadas pela Prefeitura de Porto Velho, através da Secretaria Municipal de Assistência Social e Família (SEMASF). Todas as atividades são realizadas, seguindo todas as recomendações de segurança, por voluntários. Entre eles, os seminaristas contribuem com a doação de seus serviços aos fins de semana.

Segundo eles, esta experiência tem sido de grande riqueza, pois os leva a refletir acerca da realidade que se impõe a tantas pessoas que, por diversas circunstâncias, se veem obrigadas a viver em situação de rua. Apesar dos cuidados exigidos pela pandemia, a doação do serviço vai de encontro ao mandado de Jesus: “Pois tive fome e me destes de comer. Tive sede e me destes de beber. Era forasteiro e me acolhestes” (cf. Mt 25,35)

Seminarista na pastoral

Sou seminarista Junior Henrique da silva Souza da paróquia Nossa Senhora do Perpetuo Socorro de Corumbiara, ingressei no seminário Maior São João 23 em porto velho em fevereiro de 2018 para dar início a filosofia.

Alem das dimensões proposta pela casa formativa temos também o estágio pastoral, temos as pastorais nas paróquias e as sociais (presídios, hospitais, casa de apoio etc.) o candidato ao ministério ordenado é enviado para uma dessas pastorais que lhe prestara serviços por 2 anos.

Tive a graça e a honra de poder dedicar 2 anos à antiga Colônia Jayme Aben Athar que 1975 as Irmãs da congregação Santa Marcelina assumiram a administração que transformou em um hospital que atende particular e também com a parceria com o SUS, o hospital está sobre cuidado da pessoa da irmã Lina Maria Ambiel.

Tive uma experiência única naquele lugar quando fui à primeira vez conhecer o hospital vendo aquelas pessoas com hanseníase e os que estavam em estado um pouco mais complicado, fiquei em choque, pois não havia visto algo assim, realizava as visitas aos finais de semana passando aos quartos fazendo orações, conversando com os pacientes e ao final da tarde encerrava com a missa.

Ao longo dos 2 anos que dediquei aos doentes, tive diversas experiências como boas e ruins, tanto na perda, como ver aquela pessoa entrar sendo carregado na cadeira de rodas e sair empurrando a sua cadeira lembro-me da passagem de Jesus e o paralítico, que está no evangelho de Marcos (2. 3-12), por ser um hospital católico e ter seus momentos de expressar a sua fé a sua devoção, os enfermos manifesta isso, quando passava em seus leitos via eles com uma bíblia outros com o terços, a fé que eles têm faz com que eles se ajudem até no processo de sua recuperação.

Isso me ajudou bastante em meu processo formativo, na minha fé por ver eles em situações piores, mas assíduos na oração na fé me ajudou e ensinou ter a sensibilidade e o cuidado com os doentes pelo simples fato do serviço e a manifestação de Deus que esta presente naquela pessoa. Ensinou-me também que mesmo na dificuldade Deus se faz presente e sempre nos aparando, amando e que muitas das vezes é através da enfermidade que Deus nos coloca a prova a nossa fé.

3º Congresso Missionário Nacional de Seminaristas

Dos dias 10 a 14 de julho de 2019 aconteceu, em Santo Antônio da Patrulha – RS, o 3º Congresso Missionário Nacional de Seminaristas, que contou com formandos diocesanos e religiosos de todo o Brasil. Neste houveram palestras, oficinas, convivência e partilha acerca de temáticas sobre a missão e o papel do seminarista frente à realidade missionária. De nossa diocese, representando o Seminário Mário São João XXIII, esteve presente o seminarista Gustavo Orlandin.

A partir da experiência do Congresso, em uma reunião com o reitor e seminaristas, formou-se o COMISE (Conselho Missionário de Seminaristas) no Seminário Maior São João XXIII, composto por seminaristas da Arquidiocese de Porto Velho-RO; Dioceses de Guajará-Mirim-RO e Humaitá-AM; Prelazia de Lábrea-AM.

Desde então os seminaristas iniciaram sua participação em reuniões da Arquidiocese, em acompanhar de perto as atividades realizadas nas paróquias da arquidiocese e também do regional noroeste juntamente com o COMIDI e COMIRE.

Como serviço concreto, o COMISE é responsável por ajudar a “proporcionar aos futuros presbíteros e candidatos à Vida Religiosa Consagrada uma sólida espiritualidade e formação missionária capaz de enfrentar os desafios da missão: na pastoral, nova evangelização e na missão ad gentes e além-fronteiras”.

“A missão é o máximo desafio da Igreja, é a primeira de todas as causas, é o paradigma para toda a vida da Igreja” Papa Francisco.

Seminaristas da diocese de Guajará-Mirim em Missão!

A paróquia Cristo Rei, da cidade de Cabixi, recebeu entre os dias 27 de janeiro a 01 de fevereiro de 2020, a semana missionária dos seminaristas da Diocese de Guajará-Mirim/RO. Participaram os seminaristas do propedêutico, filosofia e teologia.

Na noite da segunda-feira, 27 de janeiro, Dom Benedito Araújo, bispo de Guajará-Mirim, presidiu a santa missa do envio missionário, concelebrada pelos padres Reginaldo Alves (Paróquia e Basílica Divino Espírito Santo da Cidade de Costa Marques/RO) e Obelino Silva de Almeida (Paróquia Cristo Rei da cidade de Cabixi/RO).

Ao longo da semana, os seminaristas puderam visitar e rezar com as famílias da paróquia. As visitas aconteceram na cidade de Cabixi e no distrito do Planalto São Luiz. Eles foram acompanhados por pessoas da comunidade, que também os acolheram em suas casas proporcionando um momento de partilha da vida.

Na quinta-feira, dia 30 de janeiro, os seminaristas Adriano Cleberson da Silva e Claudinei de Lira, ambos do 4º ano de teologia, receberam os ministérios do Leitorato e Acolitado na santa missa presidida por Dom Benedito.

O encerramento da semana missionária aconteceu na noite do sábado, dia 01 de fevereiro. Na ocasião, houve a santa missa de posse do Padre Obelino como Pároco da Paróquia Cristo Rei.

Seminaristas - GUajará-Mirim