Catedral Paróquia Nossa Senhora do Seringueiro – Guajará-Mirim/RO

Compartilhe:

Data, mês e ano de Fundação da Paróquia: (Nossa Senhora do Seringueiro- Guajará-Mirim/RO)

  • 08/12/1971

 

A Igreja Paroquial Nossa Sra. do Perpétuo Socorro de Guajará-Mirim tornava-se cada vez mais insuficiente para receber o povo que se apresentava para rezar. Precisava empreender a construção de uma igreja que recebesse o nome de Catedral. Desde o ano de 1955 juntavam-se pedras para os alicerces da obra que continuou sem parar. Dom Rey procurou o arquiteto Benedito Calixto, em São Paulo, que lhe forneceu os planos. Em seguida, começaram de verdade os trabalhos para a construção da Catedral de Guajará-Mirim. Em 1956 foi colocada a Pedra Fundamental. Em 26 de maio de 1957, realizou-se a bênção dos alicerces. Num verdadeiro mutirão de toda a cidade, precisaram quinze anos para completar a construção. Eis uma carta que o Frei Armando-José Rey, sobrinho de Dom Rey, escreveu aos seus superiores: “Trabalhamos em Guajará-Mirim intensamente à construção da catedral. Os muros estão terminados e prontos a receber o madeiramento do telhado que já está pronto. Fabricamos as 17.000 telhas que precisamos. Os pedreiros estão ocupados agora na construção das torres que terão 30 metros. Vamos continuar até o fim até que se terminem os tijolos, o cimento,… e o dinheiro, visto que estamos no fundo da gaveta. Cada semana, pago uma fortuna aos operários, sem contar o pagamento dos tijolos e do madeiramento. Uma catedral não é uma pequena casinha. Supõe bastante preocupações e cansaços que dividimos em partes iguais com Dom Rey, Padre Bernardo Coulanges e eu mesmo. Dom Rey presta atenção à execução dos planos e prevê todas as encomendas de material. Do meu lado, dividido com o Pe. Bernardo a preparação das primeiras comunhões, vistos os doentes, direção e formação dos movimentos católicos de juventude e adultos. Tenho ainda as finanças(contabilidade, papéis intermináveis para obter subvenções, pagamentos dos operários, compra de material e do necessário para a cozinha); em seguida as máquinas: reparação e manutenção de dois caminhões que trabalham sem parar”. Dom Rey cuidava mais do que das plantas, visto que trabalhava igual a um trabalhador. Com a presença ativa dele, as obras se desenrolavam rapidamente. A partir de 1960, a Catedral começou a ser utilizada para as celebrações. Mas somente a 08 de dezembro de 1971 que foi oficialmente inaugurada a nova Catedral, celebrando-se os 25 anos de episcopado de Dom Rey e os 25 anos de sacerdócio de Dom Roberto, então Bispo de Guajará-Mirim. A fundação da Paróquia Nossa Senhora do Seringueiro aconteceu no mesmo dia. Seu 1° Pároco foi o Pe. José Vieira de Lima TOR.

 

NOSSA SENHORA DO SERINGUEIRO

 

Qual poderia ser o padroeiro da nova Catedral? Logo Dom Rey pensou no seringueiro sofredor nas “estradas” da sua colocação, nos seringais e, embora fosse uma proposta toda nova e assaz estranha, decidiu dedicar a catedral de Guajará-Mirim a Maria, protetora dos seringueiros. Assim nasceu conforme o texto de Dom Rey de 11 de fevereiro de 1956, escrito na festa da Aparição da Imaculada, o novo vocábulo de Nossa Sra. do Seringueiro: “Dos perigos da mata virgem, febres, cobras, onças, etc, e de coração angustiado de suas vítimas, originou-se, sob este novo vocábulo, a tradicional e já tão arraigada devoção do seringueiro à sua Excelsa Protetora. De todos os trabalhos manuais, o seringueiro disperso e isolado pela vastidão da insalubre floresta amazônica, seja talvez, o mais desamparado, o mais desprotegido, o mais desconhecido e o mais sacrificado… Trabalha muito, nas piores condições, e ganha pouco; raramente economiza para melhorar o seu padrão de vida… Mas o seringueiro é religioso. Tem uma fé de remover montanhas. De par com o abandono a que está sujeito, cresce a sua confiança em Deus e Nossa Senhora…Uma vez embrenhado na mata traiçoeira, o pensamento dele não mais se afasta de Deus e sempre se vale da proteção de Nossa Senhora… O seringueiro merecia um sinal visível da proteção perene e invisível da sua Rainha. Da ideia à resolução, da resolução ao projeto, foi só um passo em vias de realização: Fixada na tela pelo pincel artístico duma jovem paulista, ei-la aparecendo, toda envolta em luz celestial, ao seringueiro deslumbrado em plena fauna, com, na mão esquerda, o Santo Rosário. Reproduzida em madeira preciosa, pela mão adestrada de um famoso escultor, a estátua original de Nossa Senhora do Seringueiro foi oferta pelos Bandeirantes Paulistas aos Bandeirantes Amazonenses, numa solene de entronização no famoso Santuário, ora em construção, a Ela dedicado, na Sede Prelatícia de Guajará- Mirim…” Mais tarde, após várias tentativas, seria criada em São Paulo, a partir da ideia de Dom Rey e com as mãos artísticas de uma pintora e de um escultor a imagem tão desejada de Nossa Senhora do Seringueiro, que um dia, foi colocada na sua Catedral, em Guajará-Mirim.

Paróquia pertencente a Região Sede da Diocese de Guajará-Mirim.

 

Endereço:

 

Dia do (a) Padroeiro (a) da Paróquia:

  • Festa na Paróquia Nossa Senhora do Seringueiro 08/12.

 

Quantidade de Comunidades:

  • 13, inclusa a Matriz.

 

Sacerdote: Vigário Pe. Josiel Santos da Cunha

 

Posts Relacionados

Facebook